A Águia de asas podadas e a Raposa

Certo dia uma Águia foi capturada por um homem.

Este aparou-lhe as penas das asas e soltou-a no galinheiro, para que ela vivesse com as galinhas. Desde então a Águia andava de cabeça baixa e, de tristeza, nada comia, qual um rei aprisionado. Entretanto um outro homem, tendo-a comprado, arrancou-lhe o restolho das penas podadas e, friccionando-lhe os cotos das asas com mirra, fez crescerem novas plumas.

Então a Àguia, alçando vôo, arrebatou com as suas garras uma lebre, trazendo-lha de presente.

Uma raposa, vendo aquilo, disse-lhe: — “Não é a este que deves presentear, mas ao teu primeiro dono, visto que o segundo é bom por natureza; portanto trata de apaziguar de preferência o primeiro, não vá ele agarrar-te novamente e privar-te das asas.“

Eis que é necessário recompensar os benfeitores, e prudentemente conservar afastados os perversos.

A aguia de asas podadas e a Raposa

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email
você também pode gostar
EM breve novo Livro

EV

mais popular

#ParePraPensar

Fique por dentro de novas ferramentas para desenvolvimento pessoal, EV e projeção