Um adivinho, trabalhava numa praça pública, ali ganhava a sua vida.

Subitamente alguém chegou perto dele e comunicou-lhe que as portas da sua casa estavam arrombadas e que tinha sido carregado tudo que havia no seu interior. Fora de si, ele se levantou de um salto e, lamentando-se, correu para ver o que acontecera.

Ao vê-lo, uma das pessoas que se encontravam perto exclamou: — “O meu amigo! tu, que te gabavas de prever os problemas dos outros, não conseguiste adivinhar os teus?”

Poder-se-ia aplicar esta fábula a certos indivíduos que administram negligentemente a sua própria vida, e que se intrometem em assuntos que não lhes dizem respeito.

O Adivinho

#ParePraPensar

Pare, respire, feche os olhos. Assente-se em um local confortável, onde você se sinta bem e tranquilo(a). Mantenha sua coluna ereta, assim melhora a circulação das energias, a circulação sanguínea e sem a pressão do apoio.

Agora: OBSERVE OS PENSAMENTOS!

Rolar para cima