7 dificuldades da Projeção consciente para iniciante nas primeiras experiências de saída para fora do corpo.

A Projeção consciente para iniciante ou o projetor jejuno é a conscin, homem ou mulher, inexperiente quanto à manifestação pessoal e alheia na dimensão extrafísica a partir da projetabilidade lúcida.

  1. Projetor jejuno
  2. Projetor inexperiente. 
  3. Projetor iniciante. 
  4. Projetor principiante. 
  5. Projetor novato. 
  6. Projetor calouro. 
  7. Projetor inábil. 
  8. Projetor limitado. 
  9. Projetor aprendiz. 
  10. Projetor leigo.
  11. Projetor neófito.

Confira as minhas experiências de Projeção Consciente. Já descobri mil modos de como não projetar. 😉

Neologia. As 3 expressões compostas projetor jejuno, projetor jejuno inconsciente e projetor jejuno autoconsciente são neologismos técnicos da Projeciologia.

Antonimologia: 01. Projetor experiente. 02. Projetor tarimbado. 03. Projetor experimentado. 04. Projetor experto. 05. Projetor traquejado. 06. Projetor técnico. 07. Projetor avançado. 08. Projetor teático. 09. Especialista em projetabilidade lúcida. 10. Perito em projeção consciente.

Estrangeirismologia: a performance projetiva deficitária; a carência de know-how quanto à projetabilidade lúcida; a falta de expertise extrafísica; o upgrade projetivo; o Projetarium.

Atributologia: predomínio das percepções extrassensoriais, notadamente do autodiscernimento quanto ao desenvolvimento da projetabilidade lúcida.

Fatuística

Pensenologia: o holopensene pessoal da projetabilidade lúcida; a parapensenidade da conscin projetada; os neopensenes; a neopensenidade; os reciclopensenes; a reciclopensenidade; os lucidopensenes; a lucidopensenidade; os evoluciopensenes; a evoluciopensenidade; a qualidade do holopensene da base física do projetor influindo no desenvolvimento projetivo.

Fatologia: as autopesquisas projetivas; a necessidade imprescindível do conhecimento teórico projeciológico para o desenvolvimento do projetor novato; a extensa bibliografia projeciológica; a resistência à utilização de técnicas projetivas; a autorganização da rotina para aplicação de técnicas projetivas; os alvos mentais projetivos; a rememoração das vivências projetivas; o registro das autovivências extrafísicas; a autoprojeciocrítica; a autoprojeciometria; o mapeamento das inabilidades projetivas pessoais; a identificação dos erros recorrentes nas autoprojeções conscienciais; os catalisadores da emersão da projetabilidade latente; as trocas de experiências entre projetores; a utilidade dos cursos de Projeciologia e dos laboratórios de autopesquisa projetiva no desenvolvimento do projetor jejuno; o Curso Integrado de Projeciologia (CIP) e a Escola de Projeção Lúcida (EPL) do Instituto Internacional de Projeciologia e Conscienciologia (IIPC).

Parafatologia: a jejunice projetiva; a inexperiência quanto à projeção consciente; as manifestações iniciais ou esboçantes na extrafisicalidade; o amadorismo projetivo; a carência de conhecimento prático quanto à dimensão extrafísica; a ausência de traquejo projetivo; a falta de desembaraço projetivo; as ações extrafísicas titubeantes do projetor novato; os temores quanto à Parafenomenologia, peculiares ao projetor iniciante; a necessidade de amadurecimento pessoal quanto às vivências fora do soma; o trafal da projetabilidade lúcida; a iniciação projetiva; a semperaprendência projetiva; o autodesempenho projetivo; a autovivência do estado vibracional (EV) profilático; a sinalética parapsíquica pessoal aplicada ao desenvolvimento projetivo; a identificação dos sinais precursores objetivos e subjetivos do transe projetivo indicando o aperfeiçoamento do projetor; as parapercepções das sensações psicofisiológicas advindas da descoincidência holossomática; as etapas de desenvolvimento da projeção consciente (PC); o desenvolvimento gradual das habilidades projetivas; o desenvolvimento projetivo contínuo; a repetição paciente projetiva; a curiosidade sadia quanto à extrafisicalidade; as atitudes pró-projetivas; a paraprendizagem; as autocomprovações quanto à realidade extrafísica; a aprendizagem derivada das paravivências; as projeções conscientes assistidas; o reconhecimento dos autesforços do projetor pelo amparo extrafísico; a parapreceptoria nas experiências projetivas; as projeções didáticas; a paradidática dos amparadores na paraeducação do projetor aprendiz; o suporte paratécnico especializado dos monitores extrafísicos; as inspirações providenciais dos amparadores extrafísicos nas experiências fora do corpo; a observância das regras de etiqueta extrafísica; a compreensão dos amparadores extrafísicos frente às inépcias do projetor jejuno; os microtraumas vivenciados pelo projetor novato; os traumas extrafísicos inevitáveis e indispensáveis ao desenvolvimento do projetor; a impactoterapia da primoprojeção lúcida; o contágio psicológico desencadeando projeções conscientes espontâneas; o extrapolacionismo parapsíquico no desenvolvimento da projetabilidade lúcida; a autoconscientização multidimensional (AM) permitindo o vislumbre da extensão do autodesconhecimento; a vivência do paradigma consciencial; a experiência da conscin projetada viver temporariamente na condição de consciex; a desdramatização da dimensão extrafísica; a desrepressão consciencial através da projetabilidade lúcida.

Projeção consciente para iniciante
simulação de um Projeção consciente para iniciante por unsplash.com

Detalhismo

Sinergismologia: o sinergismo projetivo energossoma-psicossoma; o sinergismo vontade–intenção–energia consciencial; o sinergismo sinalética parapsíquica–desenvolvimento projetivo; o sinergismo agenda extrafísica–diário projetivo.

Principiologia: a vivência do princípio da descrença (PD); o princípio da autopesquisa; o princípio insubstituível do esforço evolutivo pessoal.

Codigologia: o código pessoal de Cosmoética (CPC) influindo no desenvolvimento do projetor jejuno; o código de conduta extrafísica.

Teoriologia: a teoria da projetabilidade lúcida; a teoria do paradigma consciencial; o predomínio da autovivência (99%) verbaciológica sobre a teoria (1%).

Tecnologia: a técnica do EV enquanto elemento-chave no desenvolvimento da projetabilidade lúcida; as técnicas projetivas; a técnica da tentativa e acerto; a técnica da soltura energossomática; a técnica de autexpansão das energias conscienciais; a técnica da assepsia energética; a repetição técnica favorecendo o autodesenvolvimento projetivo; as técnicas rememorativas da projeção consciente.

Voluntariologia: a adesão inicial ao paravoluntariado. Laboratoriologia: o laboratório conscienciológico das técnicas projetivas; o laboratório conscienciológico do estado vibracional; o laboratório conscienciológico da autorganização; o laboratório conscienciológico da Paraeducação; o laboratório conscienciológico da Evoluciologia.

Colegiologia: o Colégio Invisível da Projeciologia; o Colégio Invisível da Energossomatologia; o Colégio Invisível da Parafenomenologia; o Colégio Invisível da Parapercepciologia.

Efeitologia: os efeitos evolutivos do desenvolvimento da projetabilidade lúcida; os efeitos da voliciolina nos resultados projetivos; o efeito das emoções nos autexperimentos extrafísicos.

Neossinapsologia: a carência de paraneossinapses projetivas; os recursos paramnemônicos empregados pelos amparadores extrafísicos para a apreensão de paraneossinapses pelo projetor aprendiz.

Ciclologia: o ciclo de extrapolacionismos parapsíquicos auxiliando o desenvolvimento do projetor novato; o ciclo projetivo; o ciclo erro-retificação-acerto; o ciclo teoria-autovivência.

Enumerologia: as gafes projetivas; os vexames projetivos; as inabilidades projetivas; as inseguranças projetivas; os minitraumas projetivos; as descobertas projetivas; os aprendizados projetivos.

Binomiologia: o binômio indisciplina-arrogância; o binômio domínio das energias–desenvoltura projetiva; o binômio projetor-parapreceptor; o binômio experiência-aprendizagem.

Interaciologia: a interação amparador extrafísico–conscin projetada; a interação curiosidade sadia–desenvolvimento projetivo; a interação autodisposição-autovivência; a interação nível de autorganização–nível de projetabilidade; a interação cérebro-paracérebro.

Crescendologia: o crescendo projetabilidade jejuna–projetabilidade veterana; o crescendo fenomênico aura projetiva–clarividência viajora–projeção consciente; o crescendo monovisão–cosmovisão multidimensional; o crescendo percepções somáticas–parapercepções holossomáticas.

Antagonismologia: o antagonismo interesse / indiferença; o antagonismo aproveitamento / desperdício; o antagonismo continuísmo / imediatismo; o antagonismo desassombro / temor; o antagonismo conhecimento / ignorância; o antagonismo abertismo consciencial / fechadismo consciencial; o antagonismo autevolução projetiva / autacomodação projetiva; o antagonismo projetabilidade amplificada / projetabilidade reprimida; o antagonismo vida alternante / vida trancada; o antagonismo autoprojetabilidade amadora esporádica / autoprojetabilidade profissional buscada.

Paradoxologia: o paradoxo de o trauma extrafísico poder funcionar de maneira terapêutica, vacinando ou curando o projetor dos aspectos desconhecidos da dimensão extrafísica.

Politicologia: a energocracia; a parapsicocracia; a projeciocracia; a lucidocracia; a tecnocracia; a cognocracia; a cosmocracia.

Legislogia: a lei do maior esforço aplicada ao desenvolvimento da projetabilidade lúcida.

Filiologia: a neofilia; a cogniciofilia; a paratecnofilia; a evoluciofilia.

Fobiologia: a projeciofobia; a espectrofobia; a tanatofobia; a parapsicofobia; a extrafisicofobia.

Sindromologia: a síndrome da apriorismose; a síndrome da subestimação autoparapsíquica.

Mitologia: a desmitificação da projeção da consciência; a queda dos mitos relativos à dimensão extrafísica; o mito da mudança de patamar sem autesforço e autocrítica.

Holotecologia: a volicioteca; a parapsicoteca; a fenomenoteca; a conscienciometroteca; a tecnoteca.

Interdisciplinologia: a Projeciologia; a Projeciografia; a Projeciocriticologia; a Energossomatologia; a Holossomatologia; a Multidimensiologia; a Experimentologia; a Parapercepciologia; a Extrafisicologia; a Autolucidologia; a Autorganizaciologia; a Autopesquisologia; a Cosmovisiologia.

Perfilologia

Elencologia: a conscin lúcida; a isca humana lúcida; o ser desperto; o ser interassistencial; a conscin enciclopedista.

Hominologia: o Homo sapiens projectius; o Homo sapiens multidimensionalis; o Homo sapiens lucidus; o Homo sapiens autoperquisitor; o Homo sapiens neophilicus; o Homo sapiens parapsychicus; o Homo sapiens experiens.

Argumentologia

Exemplologia: projetor jejuno inconsciente = o iniciante instintivo, sem atinar quanto aos efeitos e consequências do desenvolvimento da projetabilidade lúcida; projetor jejuno autoconsciente = o iniciante autopercuciente quanto aos efeitos e consequências do desenvolvimento da projetabilidade lúcida.

Culturologia: a cultura da projetabilidade lúcida.

Caracterologia. O projetor jejuno, homem ou mulher, pode vivenciar, por exemplo, dispostas na ordem alfabética, 7 dificuldades iniciais nas primeiras experiências extrafísicas, superadas facilmente no decorrer do desenvolvimento projetivo e acúmulo de experimentos:

  1. Dúvida. A insegurança pessoal quanto ao fato de estar ou não projetado no decorrer das autovivências extrafísicas. A dúvida pode ser sanada por meio da autoverificação, partindo do pressuposto de realmente estar projetado.
  2. Erraticidade. O despreparo em estabelecer alvos mentais projetivos gerando a erraticidade extrafísica com baixo aproveitamento dos experimentos. O objetivo de aprender, de pesquisar e de fazer assistência predispõe o projetor a receber o auxílio dos amparadores nos autexperimentos projetivos.
  3. Euforex. A euforia extrafísica não permitindo ao projetor ampliar o senso crítico pessoal durante as projeções, facilitando a ocorrência de equívocos e condutas inadequadas. A repetição dos experimentos e a autodeterminação em manter a calma e a racionalidade na dimensão extrafísica minimizam a incidência de emocionalismos.
  4. Indistinção. A predominância de projeções semiconscientes no currículo pessoal de experiências levando frequentemente o projetor novato a ter dificuldade na distinção entre projeções conscientes reais e sonhos comuns. O registro e estudo dos autexperimentos auxiliam o projetor a identificar as dificuldades pessoais durante as projeções e a estabelecer estratégias de superação.
  5. Lastreamento. A dificuldade de atuação extrafísica gerada pelo psicossoma lastreado, podendo ser minimizada pela exteriorização de energias e instalação do estado vibracional.
  6. Medo. O receio do encontro com consciexes dificultando as interações fora do soma. Os contatos diretos nas experiências extrafísicas auxiliam no autenfrentamento dos temores irracionais.
  7. Obstáculos. Por inexperiência, a conscin pode se defrontar com obstáculos extrafísicos quando projetada, ficando limitada ao ambiente doméstico por tentar atravessar as construções físicas e não conseguir. O estudo quanto aos atributos do psicossoma auxilia na superação dos condicionamentos intrafísicos do projetor.

Acabativa

Remissiologia. Pelos critérios da Mentalsomatologia, eis, por exemplo, na ordem alfabética, 15 verbetes da Enciclopédia da Conscienciologia, e respectivas especialidades e temas centrais, evidenciando relação estreita com o projetor jejuno, indicados para a expansão das abordagens detalhistas, mais exaustivas, dos pesquisadores, mulheres e homens interessados:

  1. Agente antiprojeção consciente: Projeciologia; Nosográfico.
  2. Alternância interdimensional: Projeciologia; Homeostático.
  3. Autexame projetivo: Parassemiologia; Homeostático.
  4. Autoconscientização multidimensional: Projeciologia; Homeostático.
  5. Autoconstatação: Autexperimentologia; Homeostático.
  6. Autoparapercepciologia ideal: Autopesquisologia; Homeostático.
  7. Base intrafísica: Projeciologia; Neutro.
  8. Conscin trancada: Materiologia; Nosográfico.
  9. Inabilidade projetiva: Projeciologia; Neutro.
  10. Jejunice parapsíquica: Parapercepciologia; Nosográfico.
  11. Paragafe: Extrafisicologia; Nosográfico.
  12. Parapreceptoria: Interassistenciologia; Homeostático.
  13. Pararrealidade: Extrafisicologia; Neutro.
  14. Paravivência: Extrafisicologia; Neutro.
  15. Psicosfera projetiva: Projeciologia; Neutro.

O somatório de experiências tornam o projetor mais seguro nas explorações extrafísicas, estabelecendo reperspectivações na existência intrafísica através dos autenfrentamentos.

Você experimentou a Projeção consciente para iniciante?

Quais ações práticas tem realizado para superar tal condição?

Projeção consciente para iniciante – Projetor Jejuno

Referências

Entre em contato

Clique aqui – Fale conosco

#ParePraPensar

Pare, respire, feche os olhos. Assente-se em um local confortável, onde você se sinta bem e tranquilo(a). Mantenha sua coluna ereta, assim melhora a circulação das energias, a circulação sanguínea e sem a pressão do apoio.

Agora: OBSERVE OS PENSAMENTOS!

Rolar para cima