O Projetor Consciente comunicador é a conscin, homem ou mulher, capaz de transmitir com clareza e objetividade as próprias experiências extrafísicas de projeções lúcidas às demais consciências.

  1. Projetor comunicólogo. 
  2. Projetor narrador. 
  3. Projetor relator. 
  4. Projetor arauto.

Neologia. As 3 expressões compostas projetor comunicador, projetor comunicador taconista e projetor comunicador tarístico são neologismos técnicos da Projeciologia.

Confira as minhas experiências de Projeção Consciente. Já descobri mil modos de como não projetar. 😉

Antonimologia: 1. Projetor silente. 2. Projetor tímido. 3. Projetor lacônico. 4. Projetor amnésico. 5. Projetor prolixo.

Estrangeirismologia: o speaker multidimensional; o know-how quanto à projetabilidade lúcida; o foreign correspondent multidimensional; a glasnost comunicativa no desassédio interconsciencial; o anchorman das experiências extrafísicas; o enlightenment das informações de ponta; o storyteller das novidades extrafísicas; o savoir-faire nas experiências projetivas comunicadoras.

Atributologia: predomínio das percepções extrassensoriais, notadamente do autodiscernimento quanto à Comunicologia Interdimensional.

Megapensenologia. Eis 2 megapensenes trivocabulares relativos ao tema: – Comuniquemos a verdade. Projetor: repórter multidimensional.

Fatuística

Pensenologia: o holopensene pessoal da comunicação interdimensional; o holopensene projetivo; o holopensene pessoal da comunicação interassistencial; o materpensene pessoal projetivo; a ampliação da liberdade pensênica em ambiente multidimensional; a leitura do holopensene do local extrafísico; o materpensene do amparo extrafísico; o materpensene projeciofílico; a afinidade pensênica nos contatos interdimensionais; o holopensene de abertismo consciencial predispondo à comunicação empática; a autopensenização cosmoética; a acalmia da autopensenização; a ação de pensenizar o melhor para todos; a qualificação do holopensene pessoal priorizando o pen; os benignopensenes facilitadores da comunicação; a benignopensenidade; os neopensenes; a neopensenidade; a manutenção dos ortopensenes em encontros críticos; a ortopensenidade; a atenção e reação profilática às pressões holopensênicas obnubilantes; a agilidade na troca de bloco pensênico; a retenção mnemônica dos pensenes durante o encontro extrafísico; os registros mnemônicos dos pensenes na holomemória; as reciclagens pensênicas pós-evento projetivo; a materialização no intrafisico dos neopensenes; a neopensenidade; as reflexões pensênicas libertadoras do ego.

Fatologia: a vivência dos trafores da Comunicologia; a agenda projetiva; a disponibilidade oitiva; a isenção na recepção da informação; a comunicação assertiva; a ação eficiente de se comunicar; a desinformação; a falta de escuta; a intempestividade; a capacidade tarística de não omitir informação para quem precisa; a valorização da comunicação cosmoética; a capacidade de superar o ego ao comunicar as próprias ideias; a capacidade de falar para múltiplas e diversificadas audiências; o uso da linguagem correta; a superação dos travões comunicativos; a superação da timidez; a autexposição; o investimento nas posturas comunicativas; o zelo pela fidedignidade na transmissão da informação; a extrapolação ao acessar ideias avançadas; o estudo constante e disciplinado sobre a projeção consciente; o poliglotismo facilitador da intercomunicação; a participação voluntária na Escola de Projeção Lúcida (EPL) do Instituto Internacional de Projeciologia e Conscienciologia (IIPC); a disciplina de escrever as experiências projetivas; a coumnicação por meio dos artefatos do saber.

Parafatologia: a autovivência do estado vibracional (EV) profilático; a tarefa de comunicar multidimensionalmente; a afinidade com os múltiplos veículos de manifestação da consciência; a tutoria amparadora das consciexes no aprendizado gradual do uso dos atributos comunicativos; a autovivência da comunicação em experiências projetivas; a representatividade multidimensional; a comunicação tarística multidimensional; a paracomunicabilidade interpessoal; o uso da telepatia; a verbalização extrafísica sem som; as multivisões inerentes aos paraolhos; as relações parassociais afins; as ações extrafísicas fortalecedoras da rememoração projetiva; o detalhismo quanto ao ambiente multidimensional; o despertamento extrafísico; a rememoração pós-projetiva; o uso do EV no extrafísico para aumento de lucidez; a autossustentabilidade energética potencializando a autoconfiança na comunicação interassistencial; a comunicação entre conscins projetadas; a comunicação com consciex; o reconhecimento extrafísico de personalidades amigas de retrovidas; a leitura energética repleta de informações; a conexão com o amparador extrafísico; a confiança nas informações do amparador extrafísico; a repercursão energética no extrafísico; o antiestigma quanto ao paravisual das consciexes no ato da comunicação; a desdramatização da comunicação nos encontros extrafisicos; a autoconfiança parapsíquica; o acesso à parapsicoteca para consultar o repositório da Para-História Pessoal; o ato de seguir o fluxo assistencial confiando no amparador extrafísico; a inarticulação de palavras na transmissão da ideia extrafísica em bloco; o conscienciês; o detalhismo e honestidade na interpretação dos parafatos; a comunicação de retrocognições em grupo; a retrocognição projetiva com diálogos esclarecedores; a precognição projetiva de eventos comunicativos futuros; a autoconscientização multidimensional (AM); a projeção pelo mentalsoma; a comunicação em ambientes extrafisicos avançados; a Central Extrafísica da Verdade (CEV); a Cosmoética na comunicação multi e interdimensional; a cosmoconsciência.

Projetor Consciente comunicador
Cadê o Projetor Consciente comunicador? A imagem é uma simulação por unsplash.com!

Detalhismo

Sinergismologia: o sinergismo agente comunicador–agente receptor; o sinergismo informação-desassédio; o sinergismo agenda extrafísica–diário projetivo; o sinergismo vivência multidimensional–sociabilidade extrafísica; o sinergismo amparador do assistente–amparador do assistido; o sinergismo abertismo consciencial–inspiração comunicativa; o sinergismo atenção extrafísica–relatos minuciosos; o sinergismo autenticismo parapsíquico–autenticismo comunicativo; o sinergismo autoqualificativo paraperceptibilidade-intelectualidade-comunicabilidade; o sinergismo dicionarização cerebral–taquipsiquismo–fluência comunicativa.

Principiologia: a vivência do princípio da descrença (PD); o princípio cosmoético de analisar a utilidade tarística da informação percebida; o princípio de primeiro ouvir para depois falar; os princípios cosmoéticos norteando a comunicabilidade sadia; o princípio de respeitar o nível evolutivo do interlocutor adequando a comunicação; o princípio anticonflitivo da verbação na comunicação esclarecedora; o princípio de o menos doente assistir ao mais doente; o princípio da multiexistencialidade.

Codigologia: o codigo pessoal de Cosmoética (CPC); o código de conduta extrafísica; o código grupal de Cosmoética (CGC) pautando a comunicação e a interassistência no grupo evolutivo; o código de conduta da conscin projetora consciente; os códigos comunicativos.

Teoriologia: a teoria da Projeciologia; a teoria da comunicação interdimensional; a teoria da projetabilidade lúcida; a teoria do paradigma consciencial; a teoria do pensene; a teoria da responsabilidade pessoal pelo resultado comunicativo.

Tecnologia: as técnicas projetivas; a técnica da associação de ideias; a técnica da identificação da variante adequada ao contexto comunicativo interassistencial; a técnica do registro; a técnica da projeciocrítica; as técnicas rememorativas da projeção consciente.

Voluntariologia: o paravoluntariado dos projetores lúcidos interassistenciais; a utilização interassistencial dos saberes comunicativos no voluntariado; o voluntariado tarístico nos meios de comunicação divulgando a projetabilidade lúcida.

Laboratoriologia: o laboratório conscienciológico da Autoprojeciologia; o laboratório conscienciológico da Comunicologia; o laboratório conscienciológico da Conviviologia; o laboratório conscienciológico da Paraeducação; o laboratório conscienciológico Projetarium; o laboratório conscienciológico Serenarium.

Colegiologia: o Colégio invisível da Dessomatologia; o Colégio Invisível da Assistenciologia.

Efeitologia: o efeito anticomunicativo da verborreia; o efeito homeostático das conversações tarísticas; o efeito antibelicista do diálogo pacífico e maduro; o efeito interassistencial da escuta terapêutica; o efeito da rememoração projetiva no interlocutor ao ouvir relato projetivo; o efeito esclarecedor da recepção das verpons; o efeito da sinalética energética e parapsíquica confirmando a importância da vivência projetiva comunicativa; o efeito no grupo evolutivo ao comunicar as vivências projetivas assistenciais.

Neossinapsologia: a comunicação multidimensional lúcida contribuindo na geração das neossinapses; as neossinapses advindas das paratecnologias extrafísicas; a produção de neossinapses durante encontro comunicativo extrafísico; as neossinapses oriundas da comunicação cosmoética; as neossinapses criadas a partir da comunicação mentalsomática com os amparadores extrafísicos; a inibição comunicativa interditando a aquisição de neossinapses; a tares oriunda das neossinapses; as neossinapses recuperadas nas projeções lúcidas; a comunicação cosmoética impactante geradora de neossinapses antifossilizadoras; a comunicação interdimensional lúcida influindo na geração das neossinapses quanto ao holossoma.

Ciclologia: o ciclo projetivo; o ciclo alternante estado intrafísico–estado projetado; o ciclo comunicativo emissão-transmissão-recepção-processamento; o ciclo de extrapolacionismos parapsíquicos auxiliando o desenvolvimento do projetor novato; o ciclo experiência-comunicação-conhecimento.

Enumerologia: a projeção consciente; a escala da lucidez da conscin projetada; a autolucidez projetiva; os relatos projetivos; o paraconhecimento adquirido; a projeciografia; a projeciocrítica. A comunicação didática; a intencionalidade na comunicação; a intercomunicação eficiente; o autenticismo comunicativo; a comunicação técnica; o desafio comunicativo; a comunicação interdimensional tarística.

Binomiologia: o binômio amparar-esclarecer; o binômio comunicador-ouvinte; o binômio comunicação-esclarecimento; o binômio projetor comunicador–representante interdimensional; o binômio paracomunicação efetiva–responsabilidade comunicativa.

Interaciologia: a interação comunicador-receptor; a interação conscin projetada comunicadora–consciex amparadora paradidática; a interação projetor comunicador–conscin receptora comunicadora; a interação informação-comunicação; a interação neossinapse–paraneossinapse; a interação conscienciês-paracérebro; a interação projeção interassistencial–relato projetivo desassediador; a interação retrocognição–reconhecimento grupocármico–comunicação grupal.

Crescendologia: o crescendo comunicação intrafísica–comunicação multidimensional; o crescendo projetor jejuno–projetor de consciência contínua; o crescendo língua materna–conscienciês; o crescendo projetor troposférico–exoprojetor; o crescendo projetor mudo–projetor comunicador; o crescendo relatos projetivos orais–gescon de relatos projetivos; o crescendo comunicação atráves da linguagem comum–comunicação atráves do conscienciês; o crescendo comunicação local–comunicação universal.

Antagonismologia: o antagonismo projetor comunicativo / conscin trancada muda; o antagonismo projetor tarístico grupal / projetor exibicionista vaidoso; o antagonismo comunicação interassistencial / comunicação lacunada; o antagonismo comunicação projetiva desassediadora / comunicação intrafísica assediadora; o antagonismo comunicação esclarecedora / exposição egocêntrica.

Paradoxologia: o paradoxo da tradução da vivência parapsíquica na comunicação verbal; o paradoxo de as idéias captadas pelo paracérebro poderem ser traduzidas pelo cérebro físico; o paradoxo da origem extrafísica da consciência e da recorrente inabilidade comunicativa no extrafísico; o paradoxo de a Era da Supercomunicação ignorar a comunicação multidimensional.

Politicologia: a projeciocracia; a lucidocracia; a democracia comunicativa; a política da transparência na informação.

Legislogia: a lei de causa e efeito atuando na responsabilidade pela comunicação; a lei do maior esforço aplicada à Comunicologia; a lei do maior esforço aplicada à manutenção de bons hábitos mnemônicos.

Filiologia: a projeciofilia; a comunicofilia; a paracomunicofilia; a multidimensionofilia; a paraconviviofilia; a verbofilia; a neofilia; a adaptaciofilia; a criticofilia; a interassistenciofilia; a reeducaciofilia; a mnemofilia.

Fobiologia: a comunicofobia; a projeciofobia; a conscienciofobia; a conviviofobia; a dessomatofobia; a neofobia; a assistenciofobia; a fatofobia desencadeando o polinômio distorções perceptivas–distorções paraperceptivas–distorções cognitivas–distorções mnemônicas.

Sindromologia: a síndrome da apriorismose; a síndrome da verborragia; a síndrome da hipomnésia; a busca por holofotes na síndrome do histrionismo.

Maniologia: a mania de chamar as projeções conscienciais de sonhos.

Mitologia: o mito da comunicação plena sem levar em conta o paradigma consciencial; o mito de a comunicabilidade ser apenas dom inato; a queda do mito das verdades reveladas.

Holotecologia: a comunicoteca; a projecioteca; a convivioteca; a assistencioteca; a argumentoteca; a discernimentoteca; a mnemonicoteca; a parapedagogoteca.

Interdisciplinologia: a Projeciologia; a Comunicologia; a Multidimensiologia; a Grupocarmologia; a Conviviologia; a Projeciografia; a Projeciocriticologia; a Holossomatologia; a Energossomatologia; a Taristicologia; a Experimentologia; a Parapercepciologia; a Extrafisicologia; a Autolucidologia; a Autorganizaciologia; a Autopesquisologia; a Cosmovisiologia.

Perfilologia

Elencologia: a conscin lúcida; a conscin comunicadora, a conscin projetada comunicativa; a isca humana lúcida; o ser desperto; o ser interassistencial; a conscin enciclopedista.

Hominologia: o Homo sapiens projectius; o Homo sapiens communicologus; o Homo sapiens parapsychicus; o Homo sapiens multidimensionalis; o Homo sapiens epicentricus; o Homo sapiens despertus; o Homo sapiens autolucidus; o Homo sapiens reeducator; o Homo sapiens cosmoethicus.

Argumentologia

Exemplologia: projetor comunicador taconista = aquele cuja informação objetiva consolar as demais consciências minimizando as responsabilidades da vida multidimensional; projetor comunicador tarístico = aquele cuja informação objetiva esclarecer as demais conscins explicitando os paradeveres da vida multidimensional.

Culturologia: a cultura da projetabilidade lúcida; a cultura da Comunicologia Tarística; a cultura da autenticidade pautando as relações conscienciais comunicativas; a cultura da comunicabilidade cosmoética.

Comunicologia. No enfoque da Interassistenciologia, a comunicação sincera das neoideias percebidas no extrafísico reverbera de modo impactante nos assistidos e assistentes, promovendo a tares pela ressignificação de conceitos arraigados por múltiplas vidas.

Mentalsomatologia. Conceitos complexos, tais como as neoideias da Conscienciologia, são melhor compreendidos e assimilados por meio de experiência projetiva impactante e estimuladora do autodiscernimento.

Projeciologia. Sob a ótica da Experimentologia, as repetidas vivências projetivas, em ambientes extrafísicos diversos, trazem a experiência necessária ao projetor comunicador para o uso dos atributos do psicossoma de modo eficaz maximizando o aproveitamento das interações extrafísicas.

Holossomatologia. Sob a ótica da Holomaturologia, eis, por exemplo, em ordem alfabética, 10 condições favorecedoras dos experimentos projetivos assistenciais:

  1. Antiemotividade.
  2. Autocontrole.
  3. Autodesassédio.
  4. Confiança nos amparadores.
  5. Desassombro.
  6. Detalhismo.
  7. Estado Vibracional.
  8. Foco.
  9. Pragmatismo.
  10. Traquejo projetivo.

Parafenomenologia. Sob a ótica da Projeciologia, eis 8 exemplos, em ordem alfabética, de fenômenos extrafísicos possíveis de serem experienciados pelo projetor comunicador:

  1. Cosmoconsciência.
  2. Encontro extrafísico.
  3. Estado vibracional no extrafísico.
  4. Extrapolação parapsíquica.
  5. Inspiração de amparador.
  6. Interação com amparadores extrafísicos.
  7. Parapsicodrama.
  8. Retrocognição.

Acabativa

Remissiologia. Pelos critérios da Mentalsomatologia, eis, por exemplo, na ordem alfabética, 15 verbetes da Enciclopédia da Conscienciologia, e respectivas especialidades e temas centrais, evidenciando relação estreita com o projetor comunicador, indicados para a expansão das abordagens detalhistas, mais exaustivas, dos pesquisadores, mulheres e homens interessados:

  1. Alternância interdimensional: Projeciologia; Homeostático.
  2. Comunicação interassistencial: Comunicologia; Homeostático.
  3. Comunicação modular: Comunicologia; Neutro.
  4. Cosmoconsciência: Comunicologia; Homeostático.
  5. Desenvolvimento projetivo: Autoprojeciologia; Homeostático.
  6. Interassistencialidade: Assistenciologia; Homeostático.
  7. Parafatologia: Extrafisicologia; Neutro.
  8. Pararrealidade: Extrafisicologia; Neutro.
  9. Projeciofilia: Projeciologia; Homeostático.
  10. Projetor-auxiliar dessomaticista: Dessomatologia; Homeostático.
  11. Projetor jejuno: Projeciologia; Neutro.
  12. Psicosfera projetiva: Projeciologia; Neutro.
  13. Relato projetivo: Projeciologia; Neutro.
  14. Saberes comunicativos: Comunicologia; Neutro.
  15. Sinergismo projeção lúcida–interassistencialidade: Projeciologia; Homeostático.

A comunicação franca e objetiva das neoideias apreendidas no extrafísico torna o projetor comunicador, lúcido, o agente da tares interdimensional, narrador de parafatos e verpons.

Você já captou neo ideias advindas de encontros extrafísicos críticos? Considera dividir as próprias experiências tarísticas com o grupo evolutivo?

Projetor Consciente comunicador

Referências para um Projetor Consciente comunicador

Entre em contato

Clique aqui – Fale conosco

#ParePraPensar

Pare, respire, feche os olhos. Assente-se em um local confortável, onde você se sinta bem e tranquilo(a). Mantenha sua coluna ereta, assim melhora a circulação das energias, a circulação sanguínea e sem a pressão do apoio.

Agora: OBSERVE OS PENSAMENTOS!

Rolar para cima