Interação entre a bioenergia e a Projeção Consciente

A Interação entre a bioenergia e a Projeção Consciente (interação energossomaticidade-projetabilidade) é a estreita conexão existente entre o nível pessoal de desenvolvimento bioenergético e a produção de projeções consciente lúcidas pelo psicossoma.

  1. Interação qualidade das energias conscienciais (ECs)–habilidade projetiva. 
  2. Interrelação autossustentabilidade energética–capacidade projetiva. 
  3. Bissociação domínio energossomático–competência projetiva. 
  4. Interação soltura holochacral–desempenho projetivo.

Neologia. As 3 expressões compostas interação energossomaticidade-projetabilidade, interação primária energossomaticidade-projetabilidade e interação avançada energossomaticidade-projetabilidade são neologismos técnicos da Projeciologia.

Confira as minhas experiências de Projeção Consciente. Já descobri mil modos de como não projetar. 😉

Antonimologia: 1. Interação embotamento energético–inabilidade projetiva. 2. Interação cascagrossismo energético–trancamento consciencial. 3. Bissociação bloqueio holochacral cronificado–incapacidade projetiva. 4. Interrelação insensibilidade energética–superfixação intrafísica.

Estrangeirismologia: as performances energéticas da consciência influindo diretamente no nível de projetabilidade pessoal; o know-how parapsíquico requerido para a vivência lúcida e eficaz da própria multidimensionalidade; o Energossomatorium.

Atributologia: predomínio das percepções extrassensoriais, notadamente do autodiscernimento quanto à autoconscientização multidimensional (AM).

Ortopensatologia: – “Projetabilidade. Se a conscin projetada está lastreada de energias no psicossoma, sofre a diminuição da sua memória e da autoconsciencialidade na extrafisicalidade”. “Na dimenex, ou dimensão extrafísica, a exteriorização de energias conscienciais amplia a autolucidez da conscin projetada”. “Os amparadores extrafísicos transmitem grande intensidade de energias conscienciais ao projetor, quando projetado com lucidez, a fim de realizar trabalhos assistenciais na extrafisicalidade. Conforme vai exteriorizando as ECs, a conscin projetada, ao final dos trabalhos, retorna ao soma completamente restabelecida, com autoconsciencialidade e reabastecimento do energossoma”.

Fatuística

Pensenologia: o holopensene pessoal da Energossomatologia; o holopensene pessoal da projetabilidade lúcida; o holopensene pessoal da autexperimentação energética e projetiva; os energopensenes; a energopensenidade; os parapensenes; a parapensenidade; os paratecnopensenes; a paratecnopensenidade; os lucidopensenes; a lucidopensenidade; a autopensenização atilada à multidimensionalidade pessoal; a retroalimentação contínua do holopensene projeciológico.

Fatologia: a autoconscientização quanto à vida intrafísica energética; a implantação inteligente da rotina útil de mobilização básica das energias conscienciais (MBE); a diminuição gradual do restringimento da própria ressoma da conscin; a autoconstatação do restringimento intrafisico a partir da projetabilidade lúcida; os descondicionamentos intrafísicos crescentes; as deslavagens cerebrais quanto à multidimensionalidade; a supressão da biofilia monopolizadora; as atitudes pró-projetivas; a necessidade imprescindível do conhecimento teórico projeciológico para o desenvolvimento projetivo; a preparação para a projeção consciente (PC); a autorganização da rotina para aplicação de técnicas projetivas; o desenvolvimento da acuidade perceptiva no refinamento dos sentidos somáticos; a identificação das sensações características da psicosfera projetiva; o reconhecimento da aura projetiva; a curiosidade sadia em experimentar as sensações produzidas durante a descoincidência holossomática; a identificação e superação dos travões referentes ao desempenho projetivo; a atenção às influências recíprocas dos veículos de manifestação consciencial; o senso de multidimensionalidade pessoal.

Imagem representativa da Interação entre a bioenergia e a Projeção Consciente
Imagem representativa da Interação entre a bioenergia e a Projeção Consciente

Parafatologia: o emprego e domínio do energossoma predispondo à projetabilidade lúcida; a superação da inabilidade projetiva pelo desenvolvimento energossomático; a repetição continuada dos trabalhos bioenergéticos ampliando a lucidez extracorpórea; a tecnicidade bioenergética conjugada à tecnicidade projetiva; a eliminação dos bagulhos energéticos da base física possibilitando a vivência de projeções mais homeostáticas; a assepsia e blindagem energética da base física facilitando as autexperimentações extrafísicas; a instalação regular de campos energéticos projetivos; o relaxamento psicofisiológico patrocinado pelos exercícios bioenergéticos facilitando a projetabilidade lúcida; a autoconscientização teática do próprio holossoma a partir da vivência projetiva; as primeiras evidências pessoais da descoincidência dos veículos de manifestação percebidas no energossoma; a semidescoincidência dos estados transicionais do sono; as sensações específicas da psicosfera projetiva precedendo ou anunciando o início da projeção lúcida da consciência; os fenômenos pré-projetivos; os sinais iniciais subjetivos ou objetivos do transe projetivo; as parapercepções das sensações psicofisiológicas advindas da descoincidência holossomática; a descoincidência e recoincidência dos veículos de manifestação possibilitando a parapercepção mais intensa do energossoma; as sensações advindas da soltura holochacral; a sensação de expansão (balonamento) de todo o corpo humano; o balonamento surgindo no período da pré-decolagem; o balonamento decorrente da exteriorização do psicossoma, em geral acompanhado de lastro maior do holochacra; as conexões holochacrais do cordão de prata; a dificuldade de atuação extrafísica gerada pelo psicossoma lastreado; o maior lastro de energias no psicossoma podendo ocasionar a baixa lucidez extrafísica; a condição de slow motion ou bradicinesia extrafísica; o sono extracorpóreo; a dificuldade de volitação extrafísica; a dificuldade de atravessar as construções físicas quando projetado; o interesse pelo autoconhecimento energossomático; a importância do mapeamento da sinalética energética pessoal; o estado vibracional (EV) profilático enquanto elemento-chave para o alcance da lucidez extracorpórea; o suporte paratécnico especializado dos monitores extrafísicos; o incremento da receptividade às inspirações da parapreceptoria projetiva; a potencialização da projetabilidade pessoal; a eclosão de potencialidades projetivas adormecidas; a intensificação das experiências projetivas; a autorrecomposição energética desencadeada pela volitação extrafísica; o vislumbre da vivência na semiconsciexialidade; as doações energéticas extrafísicas; as projeções desassediadoras; o banho energético pós-projetivo confirmando a experiência extracorpórea recém-finda; o contágio projetivo desencadeado pela presença do projetor veterano; a prática diária da tenepes ampliando o nível de projetabilidade do tenepessista; o aumento gradativo no grau de autoconscientização multidimensional.

Detalhismo da Interação entre a bioenergia e a Projeção Consciente

Sinergismologia: o sinergismo Voliciologia-Energossomatologia-Projeciologia; o sinergismo entre os veículos do holossoma e a ascendência da consciência sobre eles; o sinergismo projetivo energossoma-psicossoma; o sinergismo autodomínio energético–autoparapsiquismo; o sinergismo trabalho bioenergético–projeção consciente; o sinergismo tenepes–projetabilidade lúcida; o sinergismo vontade inquebrantável–intencionalidade cosmoética; o sinergismo automotivação evolutiva–autodisciplina perseverante.

Principiologia: o princípio da descrença (PD) aplicado à Autexperimentologia; o princípio das múltiplas dimensões paralelas; o princípio de a autopesquisa servir de base para o desenvolvimento da projetabilidade; o princípio da vontade decidida superando as limitações pessoais; o princípio da causa e efeito; o princípio da perseverança nos objetivos evolutivos; o princípio da quantidade com qualidade; o princípio da autorresponsabilidade evolutiva; o princípio de a evolução ser a qualificação cosmoética das próprias ECs.

Teoriologia: a teoria da usina consciencial; a teoria da vida humana energossomática; a teoria da existência humana trancada.

Tecnologia: a teática da mobilização das energias conscienciais a partir da própria vontade; a técnica do EV; a técnica da assim-desassim; a técnica da soltura energossomática; a técnica da expansão das próprias energias; as técnicas projetivas em geral; a técnica da madrugada; a repetição técnica; a técnica do registro; a técnica do detalhismo aplicado ao autodiscernimento bioenergético; as técnicas bioenergéticas de autodesassédio visando o desenvolvimento projetivo.

Laboratoriologia: o laboratório conscienciológico da imobilidade física vígil (IFV); o laboratório conscienciológico do estado vibracional; o laboratório conscienciológico da sinalética energética e parapsíquica; o laboratório conscienciológico da Autoprojeciologia; o laboratório conscienciológico da Tenepessologia.

Colegiologia: o Colégio Invisível da Energossomatologia; o Colégio Invisível da Projeciologia; o Colégio Invisível da Parapercepciologia; o Colégio Invisível da Parafenomenologia; o Colégio Invisível da Autopesquisologia.

Efeitologia: os efeitos dos condicionamentos intrafísicos na insensibilidade energética; os efeitos imediatos da aplicação das ECs; os efeitos fisiológicos e parafisiológicos do EV; o efeito da mobilização das energias na descoincidência holossomática; os efeitos extrafísicos do lastreamento do psicossoma; os efeitos do condicionamento holochacral na potencialização da projetabilidade lúcida; o efeito do mapeamento da sinalética parapsíquica no desenvolvimento projetivo; os efeitos da voliciolina nos resultados projetivos; os efeitos e consequências do desenvolvimento da projetabilidade lúcida.

Neossinapsologia: a necessidade de criar neossinapses para desenvolver a projetabilidade lúcida; a criação de neossinapses relativas à energossomaticidade e à projetabilidade lúcida a partir do acúmulo de experiências; as neossinapses da interdimensionalidade lúcida.

Ciclologia: o ciclo teático saber–saber fazer–fazer; o ciclo do desenvolvimento contínuo com as energias conscienciais; o ciclo EV-tenepes-ofiex.

Enumerologia: o cascagrossismo; os bloqueios craniochacrais; a limpeza das energias gravitantes; a soltura holochacral homeostática; o afloramento do parapsiquismo pessoal; a supressão da alienação extrafísica; a descoincidência vígil sadia.

Binomiologia: o binômio Experimentologia-Autopesquisologia; o binômio rotina-progresso; o binômio autoconfiança-autossuficiência; o binômio intrafisicalidade-extrafisicalidade; o binômio autoconcentração mental–atenção dividida; o binômio sensibilidade energética–motivação parapsíquica.

Interaciologia: a interação energossomaticidade-projetabilidade; a interação holossomática; a interação EV–tenepes–projetabilidade lúcida (PL); a interação esforço pessoal–rendimento evolutivo; a interação autesforço da conscin–assistência do amparador extrafísico de função; a interação treinamento bioenergético assistido–autodidatismo bioenergético; a interação autodesassédio–projeção consciente; a interação curiosidade sadia–desenvolvimento projetivo; a interação nível de autorganização–nível de projetabilidade.

Crescendologia: o crescendo estado vibracional–sinalética energética–aura projetiva–projetabilidade lúcida; o crescendo da Fenomenologia Projeciológica; o crescendo Tenepessarium-Projetarium-Ofiexarium; o crescendo evolutivo tenepessista–projetor consciente–desperto–semiconsciex.

Politicologia: a energossomatocracia; a projeciocracia; a meritocracia; a lucidocracia; a evoluciocracia.

Legislogia: a lei do maior esforço aplicada ao domínio energético; as leis da Projeciologia.

Filiologia: a energofilia; a projeciofilia; a experimentofilia; a pesquisofilia; a parapsicofilia; a neofilia; a paracogniciofilia.

Fobiologia: a projeciofobia; a espectrofobia; a tanatofobia; a parapsicofobia; a extrafisicofobia.

Sindromologia: a síndrome da infradotalidade energética da conscin trancada; a síndrome da aprimorismose dificultando o desenvolvimento energético e projetivo.

Mitologia: a desmitificação ante a Energossomatologia; a eliminação do mito da evolução espontânea sem autesforço.

Holotecologia: a energossomatoteca; a projecioteca; a parapercepcioteca; a sinaleticoteca; a parafenomenoteca.

Interdisciplinologia: a Projeciologia; a Energossomatologia; a Energosferologia; a Holossomatologia; a Parafisiologia; a Autexperimentologia; a Parapercepciologia; a Descoincidenciologia; a Interdimensiologia; a Extrafisicologia; a Voliciologia; a Autocogniciologia.

Perfilologia

Elencologia: a conscin lúcida; a isca humana lúcida; o ser desperto; o ser interassistencial; a conscin enciclopedista.

Argumentologia

Exemplologia: interação primária energossomaticidade-projetabilidade = a mobilização das próprias energias possibilitando a identificação dos sinais precursores objetivos e subjetivos do transe projetivo; interação avançada energossomaticidade-projetabilidade = a exteriorização terapêutica de energias nas projeções assistenciais desassediadoras.

Culturologia: a paracultura da Interdimensiologia Lúcida.

Acabativa

Remissiologia. Pelos critérios da Mentalsomatologia, eis, por exemplo, na ordem alfabética, 15 verbetes da Enciclopédia da Conscienciologia, e respectivas especialidades e temas centrais, evidenciando relação estreita com a interação energossomaticidade-projetabilidade, indicados para a expansão das abordagens detalhistas, mais exaustivas, dos pesquisadores, mulheres e homens interessados:

  1. Alternância interdimensional;
  2. Autoconscientização multidimensional;
  3. Autodidatismo parapsíquico;
  4. Autoparapercepciologia ideal;
  5. Balonamento;
  6. Conscin trancada;
  7. Dimener;
  8. Efeito do estado vibracional;
  9. Estado vibracional;
  10. Evolução energossomática;
  11. Inabilidade projetiva;
  12. Multidimensionalidade consciencial;
  13. Psicosfera projetiva;
  14. Senso de multidimensionalidade pessoal;
  15. Sinergismo tenepes–projetabilidade lúcida.

as experimentações energossomáticas continuadas possibilitam a autocomprovação projetiva quanto à realidade extrafísica, minimizando o autorrestringimento intrafísico.

Você utiliza a técnica da Interação entre a bioenergia e a Projeção Consciente (energossomaticidade-projetabilidade) para minimizar o próprio restringimento intrafísico? Quais os resultados alcançados até o momento?

Referências

#parePraPensar com a gente

Clique aqui – Fale conosco

#ParePraPensar

Pare, respire, feche os olhos. Assente-se em um local confortável, onde você se sinta bem e tranquilo(a). Mantenha sua coluna ereta, assim melhora a circulação das energias, a circulação sanguínea e sem a pressão do apoio.

Agora: OBSERVE OS PENSAMENTOS!

Rolar para cima