O Inversor pesquisador da Projeção Consciente (inversor projeciólogo) é a conscin, homem ou mulher, praticante da técnica da invéxis atenta às realidades multidimensionais e promovendo, por meio dos estudos teáticos da Projeciologia, a soltura sadia do energossoma e a autoprojetabilidade lúcida, convergentes à aceleração da História Pessoal.

  1. Inversor pesquisador da Projeciologia. 
  2. Inversor estudioso das projeções conscientes.
  3. Inversor projeciólogo.

Neologia. As 4 expressões compostas inversor projeciólogo, inversor projeciólogo iniciante, inversor projeciólogo intermediário e inversor projeciólogo avançado são neologismos técnicos da Projeciologia.

Confira as minhas experiências de Projeção Consciente. Já descobri mil modos de como não projetar. 😉

Antonimologia: 1. Jovem intrafisicalista. 2. Reciclante existencial projeciólogo. 3. Inversor teórico. 4. Jovem eletronótico. 5. Jovem buscador borboleta.

Estrangeirismologia: o upgrade projetivo; o background invexológico; o rapport com o amparo extrafísico; o inversor large; a análise da performance projetiva; o Projectarium; o Pesquisarium.

Atributologia: predomínio das percepções extrassensoriais, notadamente do autodiscernimento precoce quanto à autoprojetabilidade lúcida.

Inversor pesquisador da Projeção Consciente
uma representação, um caminho, do Inversor pesquisador da Projeção Consciente

Fatuística

Pensenologia: o holopensene pessoal da projetabilidade lúcida interassistencial; os invexopensenes; a invexopensenidade; os lucidopensenes; a lucidopensenidade; os exopensenes; a exopensenidade; os lateropensenes; a lateropensenidade; os mnemopensenes; a mnemopensenidade; os retropensenes; a retropensenidade; os evoluciopensenes; a evoluciopensenidade; os parapensenes; a parapensenidade; os nexopensenes; a nexopensenidade; os ortopensenes; a ortopensenidade; os prioropensenes; a prioropensenidade; os autopensenes multidimensionais; a pensenidade refratária às energias intoxicantes; o holopensene invexológico convergente ao estudo da projetabilidade lúcida; o pensene padrão homeostático do inversor existencial; a autopensenização vigorosa; o holopensene desassediado; a qualificação da fôrma holopensênica.

Fatologia: os estudos projetivos promovendo as recins pessoais do inversor; o desenvolvimento da autocientificidade; o aumento da maturidade; a nulificação da juventude; a perda de oportunidade projetiva devido à ansiedade do inversor; a projeciocrítica; a projeciografia; o caderno de anotações projetivas; o balanço invexológico evidenciando o aumento das projeções lúcidas; as reuniões dos Grupos de Inversores Existenciais (Grinvexes) expandindo o conhecimento teático das projeções vivenciadas; as reciclagens invexológicas; os seminários de pesquisa do Instituto Internacional de Projeciologia e Conscienciologia (IIPC); os avanços da autopesquisa; os cursos projetivos do IIPC.

Parafatologia: a autovivência do estado vibracional (EV) profilático; o reconhecimento das amizades extrafísicas; o alvo projetivo; a autoconscientização multidimensional ainda na fase preparatória da vida humana; a rememoração do Curso Intermissivo (CI); a tomada de decisão influenciada pela projeção consciente; o domínio da projetabilidade lúcida incluído no maxiplanejamento invexológico; a recuperação de cons; as projeções vexaminosas expondo as imaturidades do inversor; o banho energético confirmando a projeção recente; a sinalética energética e parapsíquica invexológica; os resgates extrafísicos realizados pelo inversor em companhia do amparador extrafísico; a conexão entre consciexes amparadoras e conscins projetadas, mediadas pelo jovem projetor; a rememoração das habilidades extrafísicas por meio da projetabilidade lúcida; a eliminação da arrogância do inversor a partir da atuação lúcida em projeções assistenciais; os acoplamentos com amparadores extrafísicos aumentando o discernimento do inversor; o fim do amadorismo projetivo; a projeção lúcida em grupo com voluntários para assistência a jovens projetados; a catalepsia projetiva confundida com assédio extrafísico; a catalepsia projetiva tornando perceptíveis os fluxos energéticos do energossoma; a paravisualização do amparador extrafísico durante a hipnagogia; as projeções conscientes proporcionando os desassédios interconscienciais realizados ao grupocarma; as projeções conjuntas às comunidades extrafísicas de transição; a inabilidade projetiva dificultando a telepatia com consciexes mais evoluídas; as projeções conscientes auxiliando a eliminação do porão consciencial; as autovivências extrafísicas promovendo o fim das sacralizações; as projeções assistenciais não rememoradas pelo inversor; os recessos projetivos gerados a partir das imaturidades do inversor; o fim do recesso projetivo a partir dos autenfrentamentos e recins; os parapsicodramas auxiliando o inversor a superar os emocionalismos humanos; os campos bioenergéticos favorecendo lembranças da infância; as projeções conscientes capazes de favorecer a vivência da desperticidade pelo inversor.

Detalhismo

Sinergismologia: o sinergismo projetabilidade lúcida–holomaturidade; o sinergismo invéxis-recin; o sinergismo consecução da proéxis–projeção interassistencial; o sinergismo domínio energético–irrompimento do psicossoma; o sinergismo invexometria-projeciometria; o sinergismo retrocognição-maxiplanejamento; o sinergismo gescons–projetabilidade lúcida.

Principiologia: o princípio do exemplarismo pessoal (PEP); o princípio da evolução consciencial lúcida; o princípio da descrença (PD); o princípio de o menos doente assistir ao mais doente; o princípio da autodisciplina evolutiva; o princípio da autorrecuperação de cons magnos desde a juventude; o princípio de os fatos orientarem as pesquisas; o princípio da plasticidade do psicossoma.

Codigologia: o código pessoal de Cosmética (CPC) influindo na desenvoltura projetiva do inversor; o código grupal de Cosmoética (CGC) influindo nas assistências extrafísicas em grupo volitativo; o código duplista de Cosmoética (CDC); o código de prioridades pessoais; o código da megafraternidade nos resgates extrafísicos; o código extrafísico de conduta do projetor consciente; o código de conduta do tenepessista.

Teoriologia: a teoria da evolução pessoal por meio dos autesforços; a teoria do porão consciencial; a teoria dos gargalos evolutivos; a teoria e prática da projetabilidade lúcida; as teorias da Metodologia Científica; a teoria das verdades relativas de ponta da Conscienciologia; a teoria do estado vibracional; a teoria da inteligência evolutiva (IE).

Tecnologia: a técnica da inversão existencial; a técnica da tenepes iniciada na fase preparatória da vida humana; a técnica da chapa quente; a técnica do maxiplanejamento invexológico; a técnica da autavaliação do pensene padrão; a técnica da rememoração fragmentária; as técnicas projetivas.

Voluntariologia: o voluntariado conscienciológico qualificando a assistencialidade do inversor; o voluntariado prático da tares.

Laboratoriologia: o laboratório conscienciológico do estado vibracional; o laboratório conscienciológico da sinalética energética e parapsíquica; o laboratório conscienciológico Serenarium; o laboratório conscienciológico da imobilidade física vígil (IFV); o laboratório consciencial (labcon); o laboratório conscienciológico da Tenepessologia; o laboratório conscienciológico da Proexologia.

Colegiologia: o Colégio Invisível da Recexologia; o Colégio Invisível dos Invexólogos; o Colégio Invisível da Parafenomenologia; o Colégio Invisível dos Projeciólogos; o Colégio Invisível da Interassistenciologia; o Colégio Invisível da Paratecnologia; o Colégio Invisível da Experimentologia.

Efeitologia: o efeito patológico dos morfopensenes obnubiladores da lucidez extrafísica; o efeito patológico das crenças pessoais na limitação do discernimento do projetor; o efeito da projetabilidade lúcida auxiliando o jovem a superar o porão consciencial; o efeito imediato das energias conscienciais (ECs); o efeito catalisador da técnica projetiva de saturação mental; o efeito sadio do domínio da projetabilidade lúcida precoce no ciclo multiexistencial pessoal (CMP); o efeito das projeções conscientes auxiliando a recuperação de cons magnos.

Neossinapsologia: as neossinapses necessárias às retrocognições; as neossinapses consolidando as verpons pessoais.

Ciclologia: o ciclo ressoma-dessoma; o ciclo projetivo; o ciclo recebimento-retribuição; o ciclo multiexistencial pessoal; o ciclo de projeções assistenciais ao grupocarma; o ciclo alternante assistente-assistido; o ciclo alternante docente de Conscienciologia–aluno de Conscienciologia.

Binomiologia: o binômio inversor existencial–amparador extrafísico técnico em projeções lúcidas; o binômio lucidez intrafísica–lucidez extrafísica; o binômio vontade-neofilia; o binômio inversor existencial–reciclante existencial.

Interaciologia: a interação docente-aluno; a interação amparador-amparando; a interação Invexometria-Projeciometria; a interação Projeciografia-Projeciocrítica.

Crescendologia: o crescendo projeção semiconsciente–projeção consciente; o crescendo maturidade-holomaturidade; o crescendo inversor jejuno–inversor veterano; o crescendo evolutivo inteligência cerebelar–inteligência evolutiva; o crescendo projeção vexaminosa–projeção volitativa interassistencial; o crescendo da recomposição holossomática por meio da projeção volitativa.

Trinomiologia: o trinômio motivação-trabalho-lazer; o trinômio invéxis–projetabilidade lúcida–recins; o trinômio autopesquisa-recin-gescons; o trinômio autesforço-autexperimentação-neossinapses.

Antagonismologia: o antagonismo jovem eletronótico / inversor projetor lúcido.

Legislogia: a lei do maior esforço; a lei de causa e efeito.

Filiologia: a invexofilia; a projeciofilia; a recexofilia; a experimentofilia; a neofilia; a cognofilia; a evoluciofilia.

Fobiologia: a invexofobia; a recinofobia; a projeciofobia; a energofobia; a neofobia; a evoluciofobia; a tanatofobia.

Holotecologia: a projecioteca; a invexoteca.

Interdisciplinologia: a Projeciologia; a Invexologia; a Projeciometria; a Energossomatologia; a Experimentologia; a Autopriorologia; a Autoconscienciometrologia; a Interassistenciologia; a Despertologia; a Evoluciologia.

Perfilologia

Elencologia: a conscin lúcida; a isca humana lúcida; o ser desperto; o ser interassistencial; a conscin enciclopedista; o triatleta consciencial.

Argumentologia

Exemplologia: inversor projeciólogo iniciante = o principiante na aplicação da técnica da invéxis, analisando as vivências esporádicas das projeções conscientes pessoais; inversor projeciólogo intermediário = o aplicante da técnica da invéxis, investindo nos estudos teáticos para o domínio da projetabilidade lúcida; inversor projeciólogo avançado = o veterano quanto à aplicação da técnica da invéxis, apresentando domínio teático da projetabilidade lúcida.

Culturologia: a cultura da Invexologia; a cultura da autopesquisa projetiva; a cultura da Proexologia; a cultura da interassistencialidade.

Taxologia. No âmbito da Invexologia, é possível classificar o inversor ou a inversora, por exemplo, em 3 categorias básicas, expostas em ordem alfabética:

  1. Prático: com experiências parapsíquicas já vivenciadas, porém ainda menosprezando os estudos técnicos da Projeciologia.
  2. Teático: com as vivências de projeções conscientes e também dedicando-se aos estudos teóricos da projetabilidade lúcida.
  3. Teórico: com dedicação a leituras e estudos de relatos projetivos, pesquisas projetivas, livros técnicos em Projeciologia, porém ainda sem vivenciar a projeção consciente para fora do corpo humano.

Acabativa

Remissiologia. Pelos critérios da Mentalsomatologia, eis, por exemplo, na ordem alfabética, 15 verbetes da Enciclopédia da Conscienciologia, e respectivas especialidades e temas centrais, evidenciando relação estreita com o inversor projeciólogo, indicados para a expansão das abordagens detalhistas, mais exaustivas, dos pesquisadores, mulheres e homens interessados:

  1. Agente retrocognitivo inato;
  2. Assim;
  3. Autexame projetivo;
  4. Holopensene desassediado;
  5. Invexopensene;
  6. Lei da Projeciologia;
  7. Maxiplanejamento invexológico;
  8. Perfilologia Invexológica;
  9. Projeciofilia;
  10. Projeciometria;
  11. Projetor jejuno;
  12. Recin intermissiva;
  13. Recin invexológica;
  14. Sinalética parapsíquica invexológica;
  15. Triatleta conscienciológico.

O estudo teático da projeciologia pode levar o inversor para neopatamares evolutivos, imensuráveis. dependerá dos autesforços do projeciólogo o alcance da autonomia projetiva.

Você na condição de inversor(a) existencial, já estuda teaticamente as projeções conscientes lúcidas ou a projetabilidade ainda é hipótese a ser comprovada?

Como avalia o saldo das vivências projetivas pessoais?

Referências sobre Inversor pesquisador da Projeção Consciente

#parePraPensar com a gente

Clique aqui – Fale conosco

#ParePraPensar

Pare, respire, feche os olhos. Assente-se em um local confortável, onde você se sinta bem e tranquilo(a). Mantenha sua coluna ereta, assim melhora a circulação das energias, a circulação sanguínea e sem a pressão do apoio.

Agora: OBSERVE OS PENSAMENTOS!

Rolar para cima