A cinematografia sobre Projeção Consciente (cinematografia projeciológica) é o repertório, coleção ou seleção de filmes, documentários e séries televisivas utilizado nas investigações técnicas e paratécnicas da Projeciologia (experiência fora do corpo humano).

  1. Filmografia projeciológica. 
  2. Repertório audiovisual projeciológico. 
  3. Cinematografia parafenomenológica. 
  4. Videografia projeciológica. 
  5. Cinematografologia projetiva.

      Atributologia: predomínio das faculdades mentais, notadamente do autodiscernimento quanto ao autodidatismo audiovisual projeciológico.

Confira as minhas experiências de Projeção Consciente. Já descobri mil modos de como não projetar. 😉

02 estudos técnicos e sistemáticos contendo abordagem sobre “Cinematografia sobre Projeção Consciente” quando embasadas pelo paradigma consciencial:

  1. Baratrosfera. Todas as comunexes baratrosféricas de assistência lembram cenários desagradáveis dos estúdios cinematográficos de Hollywood.
  2. Ficção. Importa considerar, apesar dos pesares, que a ficção científica dos truques cinematográficos, e até de certas histórias em quadrinhos, podem retratar determinadas realidades paraplanetárias, através das inspirações dos roteiristas de filmes e dos escritores da arte sequencial.
What Dreams GIF - What Dreams May GIFs

         Pensenologia: o holopensene pessoal da cinematografia projeciológica; o fomento do holopensene da Projeciologia na intrafisicalidade; o holopensene pessoal da Parapesquisologia; os parapensenes; a parapensenidade; os morfopensenes; a morfopensenidade; os cogniciopensenes; a cogniciopensenidade; os ludicopensenes; a ludicopensenidade; os didactopensenes; a didactopensenidade; os nexopensenes; a nexopensenidade; os analiticopensenes; a analiticopensenidade; os lucidopensenes; a lucidopensenidade; os mnemopensenes; a mnemopensenidade; as assinaturas pensênicas cinematográficas; a retroalimentação pensênica projeciológica; a fixação holopensênica provocada por fotos e filmes; a flexibilidade autopensênica permitindo abordagens analíticas diferentes e originais aos objetos de estudo; a flexibilidade pensênica na propensão para rever as autoconvicções materiológicas ou místicas.

          Fatologia: a cinematografia projeciológica; a abordagem audiovisual dos temas projeciológicos; as cópias esboçantes das pararrealidades nas obras cinematográficas; as referências filmográficas úteis à Projeciologia; a Tematologia Projeciológica encontrada na filmografia comercial; os documentários e reportagens sobre fenômenos projetivos; as obras de ficção científica contendo temas úteis ao estudo projeciológico; o autodidatismo projeciológico por meio dos recursos audiovisuais; a criticidade na seleção do acervo audiovisual referente à Projeciologia; a pesquisa filmográfica parafenomenológica; o olhar crítico às produções audiovisuais com conteúdo parafenomenológico; o olhar projeciológico da filmografia disponível; as resenhas técnicas de filmes; a ressignificação de determinadas obras cinematográficas ao aprofundar o estudo da Projeciologia; o trecho de filme retratando paravivências; as cognições pró-projetivas; o espírito parapesquisístico impulsionando os autesforços no desenvolvimento projetivo; a curiosidade asdia quanto à extrafisicalidade; as plataformas de vídeo streaming possibilitando o acesso a amplo espectro de conteúdo cinematográfico inclusive projeciológico; as obras literárias projeciológicas adaptadas para o cinema; os equívocos parafenomenológicos veiculados nas produções áudiovisuais; os filmes de terror propagadores e perpetuadores dos obscurantismos quanto à multidimensionalidade; a produção audiovisual podendo ser utilizada enquanto agente pró-projeção consciente; a ilustração dos comceitos projeciológicos apresentados nas aulas teórico-práticas; os videodebates nos cursos de Projeciologia; os critérios parapedagógicos na escolha do material cinematográfico mais adequado ao perfil discente; a desdramatização da saída lúcida do corpo físico; a saturação mental ao assistir filmes com conteúdo projeciológico visando induzir vivências extrafísicas.

          Parafatologia: a autovivência do estado vibracional (EV) profilático; as criações filmográficas oriundas de inspirações extrafísicas; as zonas pertubadoras paratroposféricas inspirando cenários cinematográficos; os roteiros filmográficos fundamentados na conteudística extrafísica; os psicodramas cinematográficos enquanto esboços dos parapsicodramas; a possível relação do cinema com as visitações à parapsicoteca no período intermissivo; o reconhecimento dos fenômenos paraperceptivos e bioenergéticos presentes em filmes; as repercussões percebidas no próprio holossoma ao assistir produções audiovisuais projeciológicas; as assimilações energéticas a partir de padrões evocados nas produções cinematográficas; as assistências extrafísicas desencadeadas durante e após a exibição de filmes sobre temas projeciológicos.

Sinergismologia: o sinergismo autevolutivo comunicabilidade-intelectualidade-paraperceptibilidade; o sinergismo autodidatismo–livre arbítrio parapesquisístico; o sinergismo dicionários cerebrais–dicionários paracerebrais; o sinergismo artístico entre atores e diretores com holopensenes afins.

Principiologia: o princípio do megafoco mentalsomático; o princípio da primazia da realidade sobre qualquer ilusão.

Teoriologia: a teoria do paradigma consciencial; a teoria da projetabilidade lúcida; a teoria das verdades relativas de ponta da Projeciologia; a teoria da parapsicose pós-dessomática.

Tecnologia: a técnica da imersão projetiva; a técnica da projecioanálise; a técnica do videodebate; a técnica do gancho paradidático; a técnica da associação de ideias; a técnica de selecionar filmes; a tecnologia digital cinematográfica facilitando a elaboração de efeitos especiais ilustradores da Parafenomenologia.

Laboratoriologia: o laboratório conscienciológico das técnicas projetivas; o laboratório conscienciológico da Comunicologia; o laboratório conscienciológico da Paraeducação; o laboratório conscienciológico da Automentalsomatologia.

Colegiologia: o Colégio Invisível da Projeciologia; o Colégio Invisível da Parapedagogia; o Colégio Invisível da Extrafisicologia; o Colégio Invisível da Psicossomatologia; o Colégio Invisível da Parafenomenologia; o Colégio Invisível da Parapercepciologia; o Colégio Invisível dos Comunicólogos.

Efeitologia: os efeitos positivos da disseminação cultural; os efeitos deletérios das intoxicações energéticas geradas pelos filmes de terror; o efeito do filme projeciológico na autoconscientização multidimensional; os efeitos terapêuticos e paraterapêuticos dos enredos cinematográficos homeostáticos sobre a multidimensionalidade.

Neossinapsologia: as neossinapses parafenomenológicas criadas por meio da pesquisa cinematográfica sobre tema projeciológico; as neossinapses formadas a partir do contexto exemplificado.

Ciclologia: o ciclo da auto-reeducação através da análise fílmica.

Binomiologia: o binômio Experimentologia-Autopesquisologia; o binômio Materiologia-Projeciologia; o binômio realidade intrafísica–pararrealidade; o binômio conteúdo-forma.

Interaciologia: a interação diretor-espectador; a interação produção audiovisual–espectador; a interação fatos–script ficcional; a interação lazer-aprendizado; a interação lazer-pesquisa; a interação divulgação-conscientização; a interação faculdades mentais–parapercepções multidimensionais.

Antagonismologia: o antagonismo tela da TV / tela mental; o antagonismo observação acrítica / observação pesquisística; o antagonismo filmografia assediadora / filmografia esclarecedora; o antagonismo exacerbação emocional / desdramatização racional; o antagonismo casca grossa parapsíquico / erudito multidimensional.

Paradoxologia: o paradoxo de encontrarem-se disponíveis para muitos as verdades captadas por poucos; o paradoxo de conhecer a realidade através da ficção; o paradoxo de o lúdico poder ser fixador de conteúdos disciplinares.

Politicologia: a projeciocracia; a cognocracia; a tecnocracia; a criativocracia; a ludocracia.

Filiologia: a cinefilia; a projeciofilia; a parapsicofilia; a parafenomenofilia; a multidimensionofilia; a paracogniciofilia; a experimentofilia.

Fobiologia: a cinefobia; a projeciofobia; a parapsiquicofobia; a espectrofobia; a tanatofobia; a paracogniciofobia; a autoparapesquisofobia.

Sindromologia: a evitação da síndrome da dispersão consciencial; a cautela quanto à síndrome de abstinência da Baratrosfera (SAB); a eliminação da síndrome da apriorismose; a vigilância à síndrome da distorção da realidade; a profilaxia da síndrome da robotização existencial.

Mitologia: os mitos criados pelo cinema; a desmitificação da projetabilidade da consciência; a desconstrução dos mitos ilusórios da intrafisicalidade; a queda dos mitos relativos à dimensão extrafísica; o mito da reprodução total da pararrealidade.

Holotecologia: a projecioteca; a cinemateca; a documentarioteca; a videoteca; a filmoteca; a comunicoteca; a autopesquisoteca; a culturoteca; a didaticoteca; a mentalsomatoteca.

Interdisciplinologia: a Projeciologia; a Cinematografologia; a Filmologia; a Imagisticologia; a Projeciocriticologia; a Extrafisicologia; a Parafenomenologia; a Autopesquisologia; a Autodidaticologia; a Parapedagogiologia; a Comunicologia.

Estudos, conhecimentos ou pesquisas técnicas, sistemáticas, específicas e teáticas de perfis específicos consciências

Elencologia: a conscin lúcida; a isca humana lúcida; o ser desperto; o ser interassistencial; a conscin enciclopedista.

Investigação do argumento e da argumentação na manifestação consciencial, na investigação científica e na geração de conhecimentos a respeito da “Cinematografia sobre Projeção Consciente”:

Exemplologia: cinematografia projeciológica elementar = o repertório audiovisual utilizado nas investigações técnicas e paratécnicas do pesquisador principiante da Projeciologia; cinematografia projeciológica avançada = o repertório audiovisual utilizado nas investigações técnicas e paratécnicas do autor de obra da Projeciologia.

Culturologia: a indústria cultural cinematográfica; a cultura da Projeciologia; a Paraculturologia da Multidimensionalidade Consciencial; a Paracultura da Parafenomenologia; a cultura da Comunicologia Tarística; a cultura do esclarecimento.

27 exemplos de produções audiovisuais a respeito da “Cinematografia sobre Projeção Consciente”:

  1. Ambientes extrafísicos: Cidade das Sombras (1998).
  2. Autoscopia interna: Viagem Insólita (1987).
  3. Clarividência viajora: Falando com os Mortos (2002).
  4. Comunicabilidade extrafísica: Paixão Eterna (1987).
  5. Comunicação interdimensional: A Morte e Vida de Charlie (2010); Um Olhar na Escuridão (1993).
  6. Comunidades extrafísicas: Nosso Lar (2010).
  7. Congressus subtilis: O Enigma do Mal (1982).
  8. Desenvolvimento projetivo: Doutor Estranho (2016).
  9. Encontro antecipatório: O Campo dos Sonhos (1989).
  10. Energima: O Exorcismo de Emily Rose (2005).
  11. Exoprojeção: Contato (1997); Viagem ao Mundo dos Sonhos (1985).
  12. Experiência de quase-morte: Vida Depois da Morte (1977); Salvo pela Luz (1995).
  13. Hipoacuidade extrafísica: E Se Fosse Verdade (2005).
  14. Morfopensenes: A Origem (2010).
  15. Paraparentela: No te mueras sin decirme adonde vás (1995); Um Anjo Rebelde (2001).
  16. Parapsicose pós-dessomática: O Sexto Sentido (1999); Os Outros (2001).
  17. Parapsicoteca: Um Visto para o Céu (1991).
  18. Parapsicodrama: A Outra (1988); O Terceiro Olho (2004).
  19. Projeção consciencial conjunta: Em Meus Sonhos (2014).
  20. Projeção consciencial educativa: A Felicidade não se Compra (1946); Os Fantasmas de Scrooge (2009).
  21. Projeção consciencial sequencial: Medium (série televisiva, 2005–2011); Awake (série televisiva, 2012).
  22. Projeção precognitiva: Premonições (2007).
  23. Projeção retrocognitiva: Em Algum Lugar do Passado (1980); Minha Vida em Outra Vida (2000).
  24. Resgate na Baratrosfera: Amor Além da Vida (1998).
  25. Segunda dessoma: Além da Eternidade (1989); Passageiros (2008).
  26. Telecinesia extrafísica: Espíritos (1996).
  27. Visão panorâmica projetiva: As Cinco Pessoas que Você Encontra no Céu (2004).
Exemplo clássico: “Cinematografia sobre Projeção Consciente”

As películas cinematográficas explicitadoras das pararrealidades possibilitam a apreensão de neoconcepções da parafenomenologia e a ampliação das paravivências pessoais.

Você aproveita os conhecimentos, conteúdo, cinematográficos nas pesquisas projeciológicas pessoais? 

Quais as aplicações evolutivas e interassistenciais desenvolvidas até o momento?

Referências

#parePraPensar com a gente

Clique aqui – Fale conosco

#ParePraPensar

Pare, respire, feche os olhos. Assente-se em um local confortável, onde você se sinta bem e tranquilo(a). Mantenha sua coluna ereta, assim melhora a circulação das energias, a circulação sanguínea e sem a pressão do apoio.

Agora: OBSERVE OS PENSAMENTOS!

Rolar para cima