Autossuperação da inabilidade da Projeção Consciente

A autossuperação da inabilidade da Projeção Consciente é a ultrapassagem das dificuldades à obtenção da projeção consciente lúcida por parte do(a) projetor(a) depois de incontáveis experiências frustras (malogras, baldas, falhas, fracassas, goras), por meio da vontade, persistência, autodidatismo (pessoa que tem a capacidade de aprender algo sem ter um professor), variação e aplicação combinada de técnicas projetivas.

18 Pesquisas dos fatos, ocorrências, acontecimentos, episódios, conjunturas, incidentes, realidades ou adventos intrafísicos relativos à existência humana:

Confira as minhas experiências de Projeção Consciente. Já descobri mil modos de como não projetar. 😉

Imagem simbólica sobre "Autossuperação da inabilidade da Projeção Consciente" imagem por Pixabay
  1. a autossuperação (superação de si, de suas limitações, dificuldades, imperfeições, temores) da inabilidade projetiva; 
  2. a frustação de estudar sobre Projeção Consciente e não ter conseguido projetar-se; 
  3. a dificuldade de o projetor principiante dominar a projeção consciente; 
  4. o “cascagrossismo” (pessoa de trato rude) projetivo; 
  5. as primeiras projeções ainda incipientes; 
  6. a reciclagem dos módulos do curso de Projeciologia; 
  7. as mudanças de horários e técnicas na busca de êxito projetivo; 
  8. a ausência de dúvidas mortificadoras; 
  9. a descoberta do “caminho das pedras” projetivo; 
  10. a pesquisa constante visando aprimorar auto projetabilidade; 
  11. o autesforço (intensificação das forças e das atividades físicas, intelectuais e morais, conjugadas no desenvolvimento da consecução eficaz da programação existencial, por parte da consciência intrafísica lúcida, quando empenhada na própria evolução) premiando o projetor consciente iniciante; 
  12. a importância fundamental de criar rotina projetiva diária; 
  13. o curso da escola da projeção lúcida (ww.iipc.org), qualificando as projeções através do amparo de função; 
  14. a reciclagem do belicismo por meio da projeção lúcida;
  15. a troca do hedonismo (que defende a busca por prazer como finalidade da vida humana) improdutivo pela interassistência produtiva; 
  16. a autenticidade inevitável do extrafísico trazida para o intrafísico; 
  17. a certeza de não haver escondimento para a consciência, projetada ou não; 
  18. a docência conscienciológica alavancado a projeção consciente.

Estudos específicos, sistemáticos, técnicos ou pesquisas e/ou adventos extrafísicos relativos à consciência, intrafísica e extrafísica:

  1. a autovivência do estado vibracional profilático; 
  2. o trabalho intenso das bioenergias como fator decisivo para se obter êxito projetivo; 
  3. o hedonismo (que defende a busca por prazer como finalidade da vida humana) do intrafísico levado para o extrafísico; 
  4. a carência sexual levando ao “congressus subtilis” (união sexual no plano sutil/mental entre a consciência intrafísica em estado de relaxamento físico, vígil ou projetada e consciência extrafísica ou consciência fora do corpo humano); 
  5. o auto desassombro perante as realidades extrafísicas; 
  6. o desbravamento do extrafísico e das múltiplas dimensões; 
  7. a troca do turismo extrafísico pela interassistência a partir do início da prática das tarefas energéticas pessoais; 
  8. a volta ao soma em estado de graça após assistência extrafísica; 
  9. a aquisição do desembaraço no extrafísico; 
  10. em condição da euforia intrafísica de voltar ao corpo transbordando de energia, depois de uma volitação em alta velocidade; 
  11. a continuidade da prática projetiva mesmo depois de experiências extrafísicas traumáticas; 
  12. as dificuldades recíprocas; 
  13. o veteranismo projetivo; 
  14. a imperturbabilidade como condição necessária para o veteranismo projetivo; 
  15. o latejamento permanente do chacra frontal durante a vigília física ordinária; 
  16. a absorção de energias imanentes através do psicossoma projetado; 
  17. as retrocognições e pré-congnições hauridas através da projeção consciente; 
  18. o prazer extrafísco de sentir-se livre dos grilhões do corpo físico; 
  19. as reciclagens inevitáveis a partir do contato com amparadores extrafísicos; 
  20. o contato com amigos e parentes dessomados através da projeção consciente; 
  21. a projeção lúcida patrocinada por amparadores extrafísicos para serem transmitidas aos alunos; 
  22. a certeza assimilada da teoria+prática de nada mutilar ou destruir o psicossoma; 
  23. a descoberta de ambientes extrafísicos assistenciais contíguos (adjacentes, adjuntos, adstritos, anexos) à base intrafísica.

Conjunto de técnicas, habilidades, métodos e processos para autossuperação da inabilidade da Projeção Consciente

  1. a aplicação de técnicas combinadas buscando o êxito projetivo; 
  2. a técnica de mudança na posição do soma alavancando a projeção consciente exponencialmente; 
  3. a técnica das fugas imaginativas combinada com a técnica da contagem regressiva promovendo a descoincidência e saída do soma de consciência contínua; 
  4. a aplicação da técnica para não perder a lucidez durante o estado hipnagógico (que leva ao adormecimento, à sonolência que precede o sono verdadeiro); 
  5. a aplicação da técnica da projeção consciente a partir de sonhos lúcidos; 
  6. a técnica da arremetida do psicossoma projetado para a frente proporcionando a lucidez extrafísica.
Imagem simbólica “Autossuperação da inabilidade da Projeção Consciente” por pexels

Efeitos:         

  1. o efeito reeducador da experiência fora do corpo; 
  2. os efeitos evolutivos das autopesquisas projetivas; 
  3. o efeito da vivência projetiva transparecendo na reciclagem intrafísica do projetor consciente;
  4. a autoconscientização quanto aos efeitos intrafísicos das ações extrafísicas;
  5. o efeito da autoconfiança gerada a partir das experiências extrafísicas esclarecedoras auto comprovatórias; 
  6. o efeito da projeção consciente na conquista da pacificação íntima;
  7. o efeito desnudante do “pensamento-sentimento-energia” por meio da auto projetabilidade; 
  8. o aumento da autoconfiança enquanto efeito da repetição da aplicação de técnicas projetivas; 
  9. o efeito das práticas energéticas no desenvolvimento projetivo; 
  10. os efeitos do agente fundamental de atuação da vontade sobre as forças, fluxos e refluxos cósmicos nos resultados projetivos; 
  11. o efeito do acúmulo de experiências extrafísicas; 
  12. os efeitos evolutivos do desenvolvimento da projetabilidade lúcida; 
  13. o efeito da desdramatização da interfusão afetivo-sexual extrafísica.

A ampliação da realidade da consciência por meio das novas sinapses projetivas.

Ciclos:

  1. o ciclo projetivo; 
  2. o ciclo da auto organização da rotina diária para a aplicação de técnicas projetivas; 
  3. o ciclo virtuoso experiência projetiva–achados instigantes.

Interações:

  1. a interação cérebro-cérebro extrafísico do psicossoma; 
  2. a interação autodidatismo “permanente ↔ auto qualificação crescente”; 
  3. a interação nível de “auto organização ↔ nível de projetabilidade”; 
  4. a interação curiosidade “sadia ↔ desenvolvimento projetivo”; 
  5. a interação mapeamento da “sinalética parapsíquica ↔ desenvolvimento projetivo”; 
  6. a interação nível de “vivência cosmoética  ↔ nível de vivências extrafísicas; 
  7. a interação domínio das “energias ↔ projeção consciente; 
  8. a interação “interassistência ↔ projeção consciente”.

Paradoxos:

  1. o paradoxo de a consciência precisar sair do soma para aprofundar o conhecimento sobre si mesma; 
  2. o paradoxo de a projeção breve poder proporcionar conhecimento extrafísico vasto;
  3. o paradoxo de a projeção retrocognitiva poder favorecer o avanço evolutivo;
  4. o paradoxo de se investir tempo na organização de hábitos sadios e rotinas úteis no intrafísico para ganhar tempo e lucidez no extrafísico.

A lei do maior esforço aplicada ao estudo e desenvolvimento projetivo…

Síndromes:

  1. a síndrome da pré-derrota; 
  2. a síndrome da despriorização (não colocar ou retirar do primeiro plano) projetiva; 
  3. a síndrome da dispersão consciencial; 
  4. a síndrome da hipomnésia; 
  5. a síndrome de Swedenborg.

Manias:

  1. a mania de desistir na primeira dificuldade; 
  2. a mania de não acreditar nas próprias experiências.

A cultura da projetabilidade lúcida…

Mitos:

  1. o mito do dom sem esforço; 
  2. o mito do descanso eterno depois do descarte do soma; 
  3. o mito da consciência se resumir ao corpo físico (fisicalismo = tese metafísica de que tudo é físico ); 
  4. o mito de o projetor consciente fora do corpo não conseguir retornar ao corpo.

Exemplos:

  1. autossuperação mínima da inabilidade projetiva = a da conscin projetora com experiências fugazes e esporádicas; 
  2. autossuperação máxima da inabilidade projetiva = a da conscin projetora veterana com desembaraço extrafísico frequente.

A autossuperação da inabilidade da projeção consciente leva ao descortinamento das realidades extrafísica e à recuperação do nível de consciência magnos (notáveis, extraordinários, grandes) acelerando a auto evolução (conjunto de manifestações “pensamento-sentimento-energia” gerador do movimento) e sendo ponto de virada existencial.

05 condições que contribuem para o desenvolvimento da habilidade em obter experiências lúcidas fora do corpo físico:

  1. A valorização do momento diário da aplicação da técnica projetiva.
  2. A persistência obstinada na aplicação de técnicas projetivas mesmo não colhendo resultados satisfatórios.
  3. A escolha da técnica projetiva mais adequada.
  4. O turismo extrafísico motivando a continuidade da aplicação de técnicas projetivas.
  5. A aplicação de técnicas projetivas, por em prática.

Você já identificou as ‘travas’ que te impedem da superação da inabilidade projetiva? 

Se já, quais medidas, ações, está realizando para superá-los? 

Está consciente do desperdício evolutivo decorrente da falta de priorização do desenvolvimento projetivo?

Referências

#parePraPensar com a gente

Clique aqui – Fale conosco

#ParePraPensar

Pare, respire, feche os olhos. Assente-se em um local confortável, onde você se sinta bem e tranquilo(a). Mantenha sua coluna ereta, assim melhora a circulação das energias, a circulação sanguínea e sem a pressão do apoio.

Agora: OBSERVE OS PENSAMENTOS!

Rolar para cima