A Andorinha e as outras aves

Como os parasitos produtores de visco começassem a brotar, a Andorinha, percebendo o perigo que ameaçava os voláteis, convocou todas as aves, e aconselhou-as insistentemente a cortarem esses rebentos nas árvores que os portavam; se isso lhes fosse impossível, então refugiarem-se junto aos homens, suplicando-lhes que não se utilizassem das propriedades do visco para capturá-las.

Todavia as aves zombaram dela como de uma tagarela pateta, e a Andorinha foi juntar-se aos homens na qualidade de sua suplicante. Então eles acolheram-na, pela inteligência dela, e tornaram-na sua vizinha.

E por isso que, enquanto as demais aves são capturadas e comidas pelos homens, somente a andorinha, como sua protegida, constrói os seus ninhos, sem temor, nas casas deles.

Esta fábula mostra que, aqueles que preveem as coisas prestes a acontecer, afastam naturalmente os perigos.

A Andorinha e as outras aves

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email
você também pode gostar
EM breve novo Livro

EV

mais popular

#ParePraPensar

Fique por dentro de novas ferramentas para desenvolvimento pessoal, EV e projeção